Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Vida Extra

Aventuras e desventuras no universo dos videojogos.

Vida Extra

Aventuras e desventuras no universo dos videojogos.

Programar jogos é como a educação física

Acaba de ser editado o livro Cria o Teu Jogo de Computador. É escrito por duas pessoas que percebem profundamente do tema: o Nélio Códices - co-fundador da Battlesheep, uma das mais antigas e profícuas empresas de desenvolvimento de videojogos em Portugal - e Manuel Menezes de Sequeira - professor de programação na Universidade Europeia. E junta duas das minhas coisas preferidas e que me acompanharam durante grande parte da minha vida profissional: videojogos e programação em Scratch.

 

Capa do livro Cria o Teu Jogo de Computador

 

Mas livros e tutoriais a ensinar como criar jogos é coisa que não falta. Programas de criação de jogos e apps também os há com fartura. O que tem este livro de especial?

 

Bem, é que o "criar o teu jogo" deste livro não é um fim. Nem sequer é um meio. É um abrir de portas para um mundo maior e para uma forma mais atenta de olhar para o mundo e de aprender.

 

O livro Cria o Teu Jogo de Computador propõe aos leitores, que podem ser de todas a idades, criar um jogo de Squash (aquela espécie de Ténis que se joga contra a parede, dentro de uma sala). Para isso recorre ao Scratch, que é uma ferramenta de programação criada pelo M.I.T. com o objetivo de simplificar toda aquela parte complexa e chata de "escrever" o código.

 

No Scratch o nosso programa é construído usando blocos coloridos que encaixam uns nos outros e, sem a necessidade de estarmos sempre atentos à sintaxe, ficamos livres para nos concentrarmos na estrutura e funcionamento do programa. E se é verdade que existem muitas outras ferramentas para criar jogos, muitas simplificam demasiado o processo. Usam objetos, cenários e rotinas pré-fabricadas. Isto permite criar jogos muito rapidamente mas sem toda a parte de aprendizagem de como realmente um programa funciona. No Scratch não: é muito fácil e rápido fazer coisas mexerem-se no ecrã (essencial para "agarrar", sobretudo, as crianças) mas é preciso pensar e fazer várias tentativas até as coisas funcionarem como queremos.

 

E isso não é um defeito, é uma virtude. Mais: é o ponto absolutamente essencial!

 

O objetivo deste livro não é dar aos leitores a "receita" para criar o jogo. É ensinar as várias funções do Scratch, é dar exemplos de como resolver vários desafios comuns da programação. E, por fim, permitir aos leitores partirem à descoberta e criarem os seus próprios jogos programas ou animações.

 

E o que é que isto tudo tem a ver com a educação física?

 

A disciplina de educação física esteve recentemente nas notícias porque irá passar a contar para a média de acesso ao ensino superior. Essa decisão pode ser discutível, mas a importância de ter uma disciplina de educação física na escola parece-me óbvia. É essencial que as crianças aprendam a importância do exercício físico para uma vida saudável. O objetivo da educação física não é tornar os alunos em atletas.

 

A programação tem uma relevância semelhante à da educação física. O Scratch e a programação começam a fazer parte dos currículos escolares. E o objetivo não é que os alunos venham necessariamente a tornar-se programadores. O objetivo de ensinar programação é ajudar os alunos a estruturar o seu raciocínio, é ensiná-los a encontrar soluções para problemas novos e fazê-los entender que isso se consegue através de múltiplas tentativas e erros e da perseverança.

 

A importância de ter uma disciplina de programação nas escolas parece-me óbvia. Fora das escolas também. E o livro Cria o Teu Jogo de Computador é um excelente manual e porta de entrada para alunos, professores, pais e qualquer pessoas de qualquer idade que queira simplesmente exercitar o seu raciocínio.

 

Obrigado Nélio Códices e Manuel Menezes de Sequeira!

publicado às 14:14

2 comentários

  • Imagem de perfil

    namorado 10.11.2016

    Obrigado Rita. Foi mesmo isso que tentei transmitir. É uma perspectiva que passa facilmente despercebida quando se fala em aprender a programar.
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Mais sobre mim

    imagem de perfil

    Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2020
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2019
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2018
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2017
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2016
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2015
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D

    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.