Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Vida Extra

Aventuras e desventuras no universo dos videojogos.

Vida Extra

Aventuras e desventuras no universo dos videojogos.

E.T.: "pior videojogo de sempre" faz 35 anos

Videojogos baseados em filmes costumam ser maus. E essa tendência começou logo cedo, com um dos primeiros casos a ser considerado "o pior jogo de sempre".

 

A adaptação de E.T., o Extra-Terrestre a videojogo correu tão mal que, além de pior jogo de sempre, foi também considerado o causador do colapso da indústria de videojogos americana e fez brotar teorias da conspiração sobre o enterro secreto das cópias não vendidas do jogo num aterro no meio do deserto.

 

Imagem de E.T. The Video Game

 

A realidade dos factos não é bem essa. As histórias foram exageradas. Mas o percurso do videojogo E.T. é sem dúvida uma tragédia épica. Uma "tempestade perfeita" que catapultou este título para um lugar de relevo na história dos videojogos.

 

Como é que isso aconteceu?

 

A história pode ser contade de forma curta e fácil de perceber. Em junho de 1982 estreava o filme E.T., de Steven Spielberg. Rapidamente se tornou o filme de maior sucesso do ano. Viria mesmo a tornar-se o filme mais rentável de sempre, recorde que manteve durante 11 anos.

 

Com a "febre" de E.T. ao rubro, a Atari viu a oportunidade para lucrar em grande. A popularidade da Atari estava no seu expoente máximo e até já tinham uma relação próxima com Steven Spielberg, pois estavam a criar um jogo baseado no primeiro filme de Indiana Jones.

 

Em menos de um mês os direitos para produção de um jogo baseado no filme tinham sido adquiridos. O valor pago foi acima de 20 milhões de dólares, mas a expetativa de receitas era muito maior. Bastava ter o jogo nas lojas a tempo do Natal.

 

E aí estava o problema.

 

Os jogos da Atari eram vendidos em cartucho. Isso implicava umas largas semanas só para a fábrica os produzir e mais umas quantas para a distribuição. Na prática só sobravam 5 semanas para a "pequena" tarefa de criar, programar e testar o jogo. Para terem um termo de comparação, os jogos Atari da altura demoravam em média oito meses a ser desenvolvidos.

 

Para conseguir ter o jogo pronto em apenas 5 semanas a Atari entregou a tarefa a um dos seus melhores programadores: Howard Scott Warshaw.

 

Warshaw era um autêntico Cristiano Ronaldo dos criadores de videojogos. Foi ele que criou Yar's Revenge, nada menos que o jogo mais vendido de sempre para a Atari 2600 (sem contar com jogos licenciados). Numa entrevista à BBC Warshaw relata que recebeu um telefonema do Diretor da Atari a perguntar-lhe se consegue criar o jogo do E.T. E de seguida diz-lhe "Desenha o jogo e amanhã de manhã vai ao aeroporto, que está lá um jato para te levar ao Spielberg."

 

Capa de E.T. The Videogame

 

Sucesso!

 

A verdade é que Warshaw conseguiu terminar o jogo a tempo. Só por si um feito digno de nota. Com a parte difícil completada a Atari entrou com toda a força na preparação das vendas. Mandou produzir 4 milhões de cartuchos do jogo e investiu 5 milhões de dólares em publicidade.

 

Quando o jogo chega às lojas as vendas são... Um sucesso!

 

Em dezembro de 1982 e janeiro de 1983, E.T. está nos tops de vendas de jogos. Torna-se um dos jogos Atari mais vendidos de sempre, com cerca de 1,5 milhões de cópias a sair das lojas.

 

O problema é que ainda estavam por vender os outros 2,5 milhões de cartuchos. E com as críticas negativas dos jornalistas e os próprios jogadores a queixarem-se que o jogo não era muito interessante, qualquer esperança de vender os cartuchos restantes estava morta à nascença.

 

Pior ainda, as lojas começaram a receber devoluções do jogo por parte dos clientes.

 

É nesta fase que as coisas começam a desmoronar para a Atari. E o E.T. foi dado como culpado pelo colapso da indústria de videojogos americana. Mas isso não é inteiramente verdade.

 

E.T. é mesmo "o pior videojogo de sempre"?

 

Já vi coisas muito piores. Pessoalmente acho que era apenas pouco interessante. E sobretudo muito pouco "polido", dados os prazos de desenvolvimento quase impossíveis que teve de cumprir. Mas foi sem dúvida um dos videojogos mais desapontantes de sempre, por causa da enorme expetativa à sua volta.

 

Mas não têm de se fiar na minha opinião. Podem jogar o jogo gratuitamente neste site.

 

Foi mesmo o E.T. que levou a Atari e restantes editoras à falência?

 

E.T. não foi a causa, foi apenas mais um sintoma. Houve toda uma conjuntura de fatores que causaram a queda da Atari, sobre a qual já falei.

 

Leiam este post se quiserem saber mais.

 

O jogo foi mesmo enterrado em segredo?

 

Sim e não. Com o colapso da indústria dos videojogos americana, a Atari viu-se com um enorme inventário de jogos e consolas que nunca seria capaz de vender. A solução foi "deitar tudo fora". Todas essas sobras foram despejadas e enterradas num aterro sanitário no Novo México.

 

A operação não foi propriamente secreta - a notícia saiu em alguns jornais locais - mas não é coisa que se apregoe. Para além disso o local de despejo também tinha sido usado para enterrar material radioativo, pelo que existiam medidas de segurança adicionais à sua volta que contribuiam para a aura de mistério.

 

Toda essa história foi contada no excelente documentário "Atari: Game Over", que podem ver gratuitamente aqui.

 

 

Lições para o futuro...

 

Desta história toda ficaram as lições para o futuro: A ganância e a pressa resultam em maus produtos e má imagem para quem os produz. E um videojogo baseado num filme adorado não é garantia de vendas.

 

E se há uma coisa que a História nos ensinou é que as pessoas raramente aprendem com as lições da História. Basta vermos como correu o lançamento do novo jogo baseado em Star Wars.

publicado às 17:03

3 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.