Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Vida Extra

Aventuras e desventuras no universo dos videojogos.

Vida Extra

Aventuras e desventuras no universo dos videojogos.

Todos querem e ninguém usa

A Xbox One recebeu finalmente a retrocompatibilidade. O que é isso? Uma funcionalidade que permite jogar os títulos da sua antecessora, a Xbox 360, na nova consola. (Sim, a Xbox One saiu depois da Xbox 360. O "One" é só para despistar.)

 

Isto era algo de que muitos jogadores se queixavam desde o lançamento da Xbox One. Idem para a PlayStation 4, que não permite jogar os jogos da PS3, embora a Sony já tenha em testes um serviço que vai permitir jogar esses jogos remotamente por streaming de vídeo (semelhante ao que faz o MEO Jogos).

 

O leitor mais atento perguntará: "Mas se é para jogarem jogos da consola antiga porque é que compraram a consola nova?"

 

É uma excelente pergunta, mas eu infelizmente não sei a resposta. É verdade que para quem faz o "upgrade" - quem tem a consola antiga e compra a nova - e ainda tem jogos da consola anterior para jogar isto até dá jeito. Evita ter de mantar ambas as consolas ligadas e a ocupar espaço. Mas à parte a eventual conveniência que pode ter para alguns, não há outras grandes vantagens. E se o motivo for esse, então o que faria sentido era disponibilizar esta funcionalidade logo no lançamento da consola e não agora, passados 2 anos.

 

É muito difícil encontrar dados concretos sobre a quantidade de pessoas que de facto usam este tipo de funcionalidade, mas o próprio "patrão" da Xbox afirmava há 2 anos atrás que eram apenas 5% e que por isso a retrocompatibilidade não fazia sentido. Eu pessoalmente já experimentei a retrocompatibilidade em várias consolas... durante alguns minutos. Basicamente fui ver como funcionava, joguei um bocadinho e dei-me por satisfeito. Não voltei a usar.

 

Isto acaba por ser apenas uma forma de ter mais um argumento para vender a consola. Duas semanas depois da Xbox One permitir jogar (alguns) jogos da Xbox 360 já a PlayStation afirma que vai ser possível jogar (alguns) jogos da PlayStation 2 na PlayStation 4. E no meio disto todos parecem ter esquecido que a Wii U da Nintendo corre todos os jogos da sua antecessora Wii desde o lançamento, algo que, infelizmente, não a tornou um sucesso de vendas.

 

Mas posso estar a ver mal a coisa. A verdade é que, retrocompatibilidades à parte, o mundo dos videojogos tem sido invadido nos últimos anos por uma autentica vaga de remakes e remasters. Pega-se num jogo da geração de consolas anterior, melhoram-se um pouco os gráficos, e lança-se de novo o jogo para a nova geração de máquinas. Isto há 5 anos atrás era uma coisa rara, mas agora são às dezenas e dezenas de lançamentos.

 

Não tenho nada contra, e se as editoras continuam a fazê-lo é porque há público que compra. Mas fica-me a remoer no pensamento uma questão: Não deviam estar a fazer jogos novos?

publicado às 11:00

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.