Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Vida Extra

Aventuras e desventuras no universo dos videojogos.

Vida Extra

Aventuras e desventuras no universo dos videojogos.

O papel dos videojogos na crise diplomática entre China e Coreia

Isto não é o cenário inicial de um videojogo. Estou a falar da real crise diplomática que estalou esta semana entre a China e a Coreia do Sul e de como os videojogos estão a ser usados enquanto sanção económica. Sim, os videojogos têm relevância suficiente para influenciar o ambiente geopolítico da zona no atual cenário de "guerra fria".

 

Bandeira da Coreia do Sul

 

O que se passa entre a China e a Coreia do Sul?

 

Este artigo do SAPO 24 explica a situação e recomendo a sua leitura, mas eis um resumo:

 

  • Os testes de mísseis balísticos da Coreia do Norte têm-se intensificado, o que deixa os restantes países da zona preocupados.

 

  • Em resposta a esta potencial ameaça o governo da Coreia do Sul começou a instalar um sistema de defesa antimíssilTHAAD -, com o auxílio dos Estados Unidos.

 

  • A China não gostou, possivelmente por achar que o potente radar utilizado pelo sistema THAAD pode ser usado pelos Estados Unidos para espiar o seu território, e impôs um boicote aos produtos comerciais da Coreia do Sul.

 

Qual a relevância dos videojogos nesta querela?

 

O sudeste asiático é um dos maiores mercados de videojogos. Só na China este mercado valia em 2016, segundo alguns estudos, cerca de 24 mil milhões de dólares, mais do que em qualquer outro país do mundo. Em comparação, o mercado das salas de cinema ronda os 6 mil milhões.

 

Por outro lado, a Coreia do Sul é um dos principais produtores de videojogos da região, em particular do tipo de jogos online e mobile que são especialmente populares na região. Tanto assim que as ações da empresa coreana Nexon desvalorizaram 7% num dia, quebrando uma tendência de crescimento de 6 meses. E isto apesar da sede oficial da Nexon ser no Japão.

 

É que a Nexon está prestes a lançar uma versão para telemóveis de um dos jogos mais populares na China - o Dungeon Fighter Online -, tendo com isso previsto aumentos de 800% nos seus lucros operacionais. A autorização para a publicação deste jogo na China já foi dada antes do atual bloqueio, pelo que, para já, a operação não está afetada... a menos que a China venha a estender o bloqueio a videojogos previamente autorizados. E isso é suficiente para deixar os acionistas nervosos.

 

E ainda hoje a Nexon divulgou um comunicado de imprensa sobre o jogo Gunpie Adventure, outro dos títulos que está a lançar este ano e será disponibilizado em todo o mundo. Ou melhor, citando o comunicado "estará disponível mais adiante no ano para os dispositivos iOS e Android de todo o mundo, excluindo a China continental."

publicado às 10:51

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.