Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Vida Extra

Aventuras e desventuras no universo dos videojogos.

Vida Extra

Aventuras e desventuras no universo dos videojogos.

José Mourinho em FIFA 17

José Mourinho em FIFA 17

 

Foi o ponto alto da apresentação da Electronic Arts ontem, à margem da E3. Peter Moore apresentava o jogo FIFA 17 e anunciava que pela primeira vez os treinadores também estariam presentes e bem visíveis no jogo.

 

São mostrados os três melhores treinadores do momento, segundo Peter Moore. Como "tuga" é impossível não ficar logo chocado com o facto de nenhum deles ser José Mourinho. Se há coisa que qualquer português sabe é que o melhor treinador de futebol do mundo é português (e que o melhor jogador também).

 

José Mourinho também partilha dessa opinião e aparece em palco para esclarecer a situação. Revejam o momento:

 

 

Obviamente que se tratou de uma brincadeira da Electronic Arts. José Mourinho não só faz parte do jogo como é o narrador do primeiro trailer sobre a jogabilidade de FIFA 17. Vejam-no abaixo:

 

 

FIFA 17 contará ainda com um modo História, uma espécie de jogo de role play em que seremos um jovem e promissor jogador e teremos de tomar decisões sobre a nossa carreira para chegarmos aos grandes clubes e ao estrelato.

 

Mas nem só de FIFA se falou na apresentação da EA. Podia descrever todas as novidades, mas há muitos sites da especialidade onde podem ler e ver isso mais em detalhe. Prefiro apenas referir dois pontos da apresentação que me chamaram a atenção.

 

Os desportos eletrónicos

 

Uma boa parte da apresentação da EA foi dedicada aos jogos competitivos. E não apenas a apresentá-los mas sim a falar em detalhe dos torneios oficiais e dos prémios monetários envolvidos.

 

Os desportos eletrónicos já envolvem milhões de dólares e estão a reunir cada vez mais atenção dos meios de comunicação social generalistas. A nossa RTP conta atualmente com um programa dedicado ao tema na grelha da RTP 2 - o RTP Arena.

 

Os produtores independentes

 

O outro tema que me chamou a atenção foi a aposta nos produtores de videojogos independentes. Criar um videojogo de primeira classe é um projeto cada vez mais caro, com orçamentos de muitos milhões de euros. Por esse motivo as grandes editoras apostam cada vez mais nas sequelas de jogos de sucesso: é uma forma de limitar o risco de um falhanço de vendas e dos prejuízos monumentais que tal acartaria.

 

Mas esta aposta nas sequelas faz secar a criatividade. Felizmente existem cada vez mais produtores de jogos independentes, que apostam na criatividade, fazendo jogos inovadores sem gastarem muito dinheiro. A dificuldade destes criadores independentes é, tipicamente, conseguirem dar os seus jogos a conhecer sem terem uma grande "máquina" e orçamento de marketing.

 

Mas há grandes pérolas no meio destes jogos independentes (e algumas feitas em Portugal), e por vezes conseguem grande sucesso. Por isso mesmo as grandes editoras começam a ter programas de apoio aos criadores independentes e foi bom ver a Electronic Arts apresentar a sua iniciativa.

 

Venham daí esses jogos inovadores!

publicado às 12:40

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.