Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vida Extra

Aventuras e desventuras no universo dos videojogos.

Vida Extra

Aventuras e desventuras no universo dos videojogos.

A melhor sequela de Alien não foi um filme

Chega hoje aos cinemas Alien: Covenant. A mais recente das muitas sequelas do genial filme de Ridley Scott, com o icónico monstro criado por H. R. Giger.

 

A qualidade das sequelas de Alien sempre foi alvo de debate, mas existe uma que é um verdadeiro hino à obra original. Chama-se Alien: Isolation e não é um filme.

 

Imagem de Alien: Isolation

 

Lançado pela Sega em 2014, Alien: Isolation é um jogo para PC e consolas que destila a essência do Alien original e a eleva a um novo nível. Daquela forma que só é possível nos videojogos.

 

Alien: Isolation coloca-nos na pele de Amanda Ripley, filha da protagonista dos primeiros filmes e que, já adulta, ainda procura respostas sobre o desaparecimento da sua mãe. Essa procura acaba por levá-la até uma estação espacial mergulhada no caos. O motivo, claro: há um alien à solta!

 

 

O jogador controla Amanda na perspectiva da primeira pessoa. Estamos totalmente mergulhados no ambiente do jogo e o ambiente do jogo recria na perfeição aquele aspeto de tecnologia "lo-fi" do primeiro filme, com luzes intermitentes e ecrãs de raios catódicos monocromáticos com interferências várias.

 

Mas não é só a experiência de "estar" nos cenários do filme. O que eleva este jogo à posição de derradeira experiência Alien é a sensação de terror paralisante que nos incute.

 

 

A minha chegada à estação de Sevastopol, quando joguei pela primeira vez Alien: Isolation, ficou-me marcada na memória. Não há ninguém à vista, as luzes estão quase todas apagadas, está escuro e há barulhos suspeitos à nossa volta. É suposto começar a explorar a estação, mas o meu cérebro não quer fazê-lo. Estou literalmente paralisado com o medo.

 

Num filme a ação avança sempre, independentemente do estado de espírito do espetador. Mas num jogo... é mesmo preciso combater o nosso medo para conseguir avançar. É algo que só mesmo um videojogo pode fazer, apesar de poucos o conseguirem realmente.

 

Alien: Isolation não só consegue esse feito como o mantém durante toda a sua duração. No jogo não combatemos o alien, apenas fugimos ou nos escondemos dele.

 

É a derradeira experiência para qualquer fã de Alien.

publicado às 15:05

O meu novo jogo favorito é português

Há pequenos jogos que são autênticas pérolas. Alguns deles são portugueses. E a lista está a crescer!

 

Sunset Shockwave.png

 

Quase escondido num canto da 4Gamers - o evento que decorreu em conjunto com o Iberanime, este fim de semana no MEO Arena - estava o despretensioso mas excelente Sunset Shockwave. É colorido, é divertido, é simples, é viciante... e é grátis!

 

E caso ainda não estejam impressionados, fiquem com mais esta: Sunset Shockwave foi desenvolvido por 3 jovens em apenas 2 dias!

 

Foi um projeto criado para a Global Game Jam 2017, uma espécie de concurso informal de desenvolvimento rápido de videojogos. O evento decorre em simultâneo em vários pontos do globo, onde programadores e outras pessoas ligadas ao desenvolvimento de videojogos se juntam para "inventar" novos jogos em passo rápido. Todos os projetos têm de ser apresentados ao fim de 48 horas. Jorge Miguel Carvalho, José Castanheira e Pedro Costa participaram e criaram Sunset Shockwave.

 

Depois da Global Game Jam o Sunset Shockwave teve direito a mais uns retoques e melhoramentos e está agora publicado na plataforma online Itch.io, onde pode ser jogado gratuitamente.

 

E do que se trata?

 

O jogo é muito simples: Voleibol de praia, com um jogador de cada lado do campo. A novidade é que este Voleibol não se joga com as mãos mas sim com poderes telecinéticos.

 

Em Sunset Shockwave os atletas têm um capacete que lhes permite parar a bola no ar e de seguida dispará-la de volta para o outro lado do campo. O jogador tem que estar a um mínimo de distância da bola para a conseguir parar, bastando para isso carregar num botão. Mas a bola só fica parada sob o controlo do jogador durante poucos segundos. É preciso decidir rapidamente a direção para onde queremos enviá-la ou ela cai e perdemos o ponto.

 

Sunset Shockwave - ecra 1.png

 

E é só isso. Mas esta mecânica simples exige um bom posicionamento no campo e permite até algumas técnicas como o bloquear junto à rede.

 

O jogo está feito para ser jogado por duas pessoas na mesma máquina, pelo que o aspeto social e competitivo de estar a jogar com o amigo ao lado traz a sua magia especial e completa a fórmula de sucesso.

 

Sunset Shockwave está disponível para jogar no browser ou para descarregar em versões Windows, Mac e Linux. Pode ser jogado com rato ou teclado, mas é altamente recomendado ter dois gamepads.

 

Tal como já disse, Sunset Shockwave é grátis. Por isso não têm desculpas para não o experimentarem!

publicado às 10:13

Melhores trailers de jogos de 2017: Abril

Full Throttle Remastered

 

Um trailer pode ser uma pequena obra de arte. E é por isso que, ao longo do ano, vou colecionar alguns dos melhores trailers que vão sendo lançados todos os meses pelas editoras de videojogos e partilhá-los convosco. Eis os meus preferidos de abril.

 

Este mês teve direito a algumas verdadeiras pérolas, incluindo LEGO e Star Wars. Ora vejam:

 

 

10- Ghost Recon: Wildlands - trailer "Narco Road"

 

O trailer do pacote de missões "Narco Road" não é o melhor dos que já foram produzidos para o jogo, mas a cadência de cenas de ação vale a pena.

 

 

 

9- Little Nightmares - trailer de lançamento

 

Há um ar ternurento nas personagens deste jogo de terror que faz lembrar as personagens dos filmes de animação de Tim Burton. E isso mais do que justifica que lhe dediquem a vossa atenção.

 

 

 

8- Ancestors: The Humankind Odyssey - Teaser

 

Ancestors é o novo projeto de um dos criadores da saga Assassin's Creed e promete levar-nos até à alvorada da Humanidade, há 10 milhões de anos atrás. O teaser poderia confndir-se com o de uma das excelentes séries documentais da BBC...

 

 

 

7- Total War: Warhammer 2 – trailer de apresentação

 

O jogo de estratégia baseado no universo criado pela Games Workshop vai ter direito a uma sequela. E isso cria uma ótima oportunidade para ver algumas cenas de ação e combate entre as fações de Warhammer.

 

 

 

6- Call of Duty: WWII - Trailer

 

Depois de alguns capítulos menos populares por terrenos da ficção científica, Call of Duty regressa aos cenários da Segunda Guerra Mundial dos primeiros jogos. O trailer é, como habitual, cheio de ação.

 

 

 

5- LEGO City Undercover - trailer de lançamento

 

Pessoalmente, prefiro as sequências animadas deste LEGO City Undercover ao Filme LEGO. A magia das peças de plástico está lá e o humor também. E está tão bem feito...

 

 

 

4- Frostpunk - trailer "Whiteout"

 

É o novo jogo dos criadores de "This War of Mine", um título focado nos dramas morais da sobrevivência em tempo de guerra. E Frostpunk parece seguir a mesma linha, desta vez num cenário pós-apocalíptico.

 

 

 

3- Prepare to Dine - teaser

 

Quando saiu este teaser, ninguém sabia exatamente o que era. Mas a verdade é que isso em nada diminui a excelência deste curtíssimo vídeo. Uns dias depois foi revelado que se trata de um novo jogo da Bandai Namco, chamado "Code Vein".

 

 

 

2- Full Throttle Remastered - trailer de lançamento

 

O que fez George Lucas depois da trilogia Star Wars? Fez alguns dos melhores jogos de aventura de sempre. Este Full Throttle é um bom exemplo. O jogo foi relançado em abril e o trailer mostra bem a qualidade ímpar dos jogos desta época de ouro da LucasArts.

 

 

 

1- Star Wars Battlefront II - trailer de apresentação

 

Lançado quase em simultâneo com o trailer do Episódio VIII, o trailer da sequela de Star Wars Battlefront não lhe fica atrás. É Star Wars em estado puro! É imperdível!

 

 

 

E vocês? Houve algum trailer em abril de que tenham gostado e que não esteja na lista? Partilhem nos comentários.

 

Também podem rever a lista de melhores trailers de março.

publicado às 10:10

Desportos Eletrónicos ao vivo e à borla

É já amanhã, sábado, que se disputa a jornada inaugural da Moche LPLOL. E podem assistir ao vivo e de forma gratuita.

 

Logotipo da Moche LPLOL

 

Pela primeira vez, a Liga Portuguesa de League of Legends vai reunir todas as equipas ao vivo para o arranque da temporada. O local será o Fórum Picoas, em Lisboa, e estão garantidas muitas atividades para além dos jogos, desde as 14:00 até às 23:00 horas.

 

Fiquem com um cheirinho:

 

 

Para quem não acompanha estas coisas, o League of Legends é um jogo de combates em equipa e conquista de objetivos, em que cada personagem tem características e habilidades próprias. Imaginem um jogo de Xadrez em que todas as peças se movem em simultâneo e cada jogador controla uma peça e não estarão muito longe do conceito. Isto significa, obviamente, que há uma grande componente estratégica e tática em cada partida.

 

A complexidade do jogo pode fazê-lo difícil de perceber ao início, mas as partidas contam com uma equipa de comentadores, cujo relato ajuda em muito aqueles que ainda não estão familiarizados.

 

Os desportos eletrónicos foram recentemente adicionados às competições oficiais do Conselho Olímpico da Ásia e serão um desporto com atribuição de medalhas nos Jogos Asiáticos de 2020. Um reconhecimento destas modalidades e que poderá ser um passo em direção a torná-las um desporto olímpico.

 

A jornada inaugural da Moche LPLOL é uma excelente oportunidade para ficarem a conhecer melhor os desportos eletrónicos. A entrada é livre, bastando apenas fazer a reserva do bilhete online.

 

Para quem não puder estar presente, o evento será transmitido ao vivo no MEO Kanal 303030, no Twitch e no SAPO Vídeos. Podem assistir nesta mesma página, no vídeo abaixo:

 

 

Vêmo-nos lá!

publicado às 14:09

Call of Duty: Dejá Vu

Foi anunciado um novo Call of Duty. E, depois de uma passagem de sucesso pelos cenários da guerra moderna e de duas incursões por terrenos da ficção científica com menos fulgor, eis que o cenário do novo jogo volta a ser a Segunda Guerra Mundial - o pano de fundo dos primeiros jogos da série.

 

Imagem de Call of Duty: WWII

 

Call of Duty é uma das maiores marcas do mundo do entretenimento. Os seus recordes de vendas repetem-se ano após ano. Se não costumam ligar à indústria dos videojogos, Call of Duty é um pouco como Star Wars e Velocidade Furiosa. Novos "episódios" lançados com cadência e muitos milhões em vendas.

 

E como faz muitos milhões em vendas, faz sempre sentido prestar atenção ao que aí vem. Especialmente quando as vendas do último jogo - Infinite Warfare - ficaram bastante abaixo das dos anteriores. Não foram más... apenas não foram tão boas como o costume. A culpa foi posta na transição do que era habitualmente um jogo de combates de infantaria, no terreno, para a mais pura ficção científica, com batalhas espaciais em gravidade zero.

 

E eis que Call of Duty regressa às origens com WWII:

 

 

A minha primeira reação ao novo trailer foi claramente de dejá vu. O desembarque das tropas aliadas na Normandia no Dia D, muito inspirado na cena do filme O Resgate do Soldado Ryan, foi um dos pontos altos de Call of Duty 2.

 

Haverá motivos para preocupação?

 

Não me parece. Se há jogo que é constantemente acusado de ser "mais do mesmo" é o Call of Duty. E isso nunca o impediu de ser um sucesso. Ironicamente, foi quando Call of Duty se afastou mais do habitual (com Infinite Warfare) que mais queixas recebeu e que menos vendeu.

 

E ser mais do mesmo não é um problema quando o jogo é muito bom.

publicado às 19:17

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.