Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vida Extra

Aventuras e desventuras no universo dos videojogos.

Vida Extra

Aventuras e desventuras no universo dos videojogos.

Melhores trailers de jogos de 2017: Maio

Imagem do jogo LawBreakers

 

Um trailer pode ser uma pequena obra de arte. E é por isso que, ao longo do ano, vou colecionar alguns dos melhores trailers que vão sendo lançados todos os meses pelas editoras de videojogos e partilhá-los convosco. Eis os meus preferidos de maio.

 

Este mês foi rico em obras de arte imperdíveis. Ora vejam:

 

 

10- Last Day of June - trailer de apresentação

 

À primeira vista isto pode parecer um filme de animação em stop-motion. Mas não. É mesmo um videojogo que captura na perfeição a plasticidade dos filmes criados imagem a imagem. E a história que o trailer deixa adivinhar tem tudo para ser pungente.

 

 

 

9- Destiny 2 - trailer de jogabilidade

 

Mais um jogo com um excelente teaser seguido de um excelente trailer, que mostra um pouco da história, um pouco da jogabilidade e um dos heróis a lutar contra uma nave a murro. Imperdível.

 

 

 

8- WRC 7 - trailer de apresentação

 

Podemos achar que, no que toca a vídeos de carros, já tudo foi feito. Mas este trailer de WRC 7 ainda consegue presentear-nos com imagens fantásticas do jogo e de corridas reais.

 

 

 

7- Rime - trailer de lançamento

 

As críticas ao jogo não têm sido unânimes, mas quanto ao trailer ninguém porá em causa que é uma bela obra audiovisual.

 

 

 

6- Total War: Warhammer 2 - trailer dos homens-lagarto

 

Uma batalha com homens-lagarto montados em lagartos voadores é algo que tem de ser visto.

 

 

 

5- The Long Dark - trailer "Wintermute Launch"

 

O grafismo de The Long Dark pode ser considerado simplista para os padrões atuais da indústria, mas a beleza das paisagens e o brio da iluminação misturados com a música de fundo criam um vídeo imperdível.

 

 

 

4- LawBreakers - trailer de apresentação

 

É o novo jogo do criador do mítico Gears of War e troca os cenários sombrios e personagens soturnos por algo muito mais colorido. Com muitos tiros e pouca gravidade, este é um trailer que vale mesmo a pena ver.

 

 

 

3- Ancestors - trailer de apresentação

 

A premissa deste trailer é simples: acompanhamos o desembarque e ataque de um grupo de viquingues. Mas a execução está a um nível que faz lembrar a cena do desembarque na Normandia d'O Resgate do Soldado Ryan.

 

 

 

2- Raiders of the Broken Planet - trailer "#4Dividedby1"

 

É um "western"? É ficção científica? É uma cena de um filme do Tarantino? Não exatamente. Mas que é um trailer cheio de estilo, lá isso é!

 

 

 

1- Ready or Not - trailer de apresentação

 

Ready or Not é um jogo baseado nas operações das equipas especiais da polícia. E o trailer é um autêntico murro no estômago ao mostrar de forma crua alguns exemplos do que de pior esses agentes podem testemunhar nessas situações extremas. Tudo isto ao som de Bach...

 

 

 

E vocês? Houve algum trailer em maio de que tenham gostado e que não esteja na lista? Partilhem nos comentários.

 

Também podem rever a lista de melhores trailers de abril.

publicado às 12:02

No Dia da Criança, compra jogos para maiores de 18

Com o aproximar de 1 de junho, sucedem-se as promoções do Dia da Criança de centros comerciais e grandes superfícies. E do que é que as crianças gostam? De brinquedos, de livros infantis, de filmes de animação... e de videojogos, claro.

 

Notem que não escrevi "videojogos para crianças" mas apenas "videojogos". E fi-lo por duas razões: porque, por um lado, de facto os videojogos costumam ser apelativos para os mais pequenos independentemente da sua temática, e por outro porque parece que ainda há pessoas que acham que videojogos são uma coisa de crianças.

 

A prova? Esta campanha online de uma conhecida cadeia de grandes superfícies, que a propósito do Dia da Criança oferece 20% de desconto na compra de videojogos:

 

Imagem de pormoção do dia da crianca com títulos para maiores de 18

 

Repararam no problema? Dos primeiros 6 títulos em destaque, 4 são para maiores de 18 e 1 é para maiores de 16. Nenhum deles é recomendado para crianças.

 

Navegando pelas páginas do site, de 40 títulos da PlayStation 4 em promoção apenas 7 são adequados a menores de 12 anos. Mais de metade, 23, são para maiores de 16 ou maiores de 18. Safam-se as promoções de jogos para plataformas Nintendo, onde encontramos jogos no máximo para maiores de 12. Mas o problema é que a PlayStation 4 é a plataforma que é destacada em primeiro lugar e aquela que tem mais jogos em promoção.

 

Eu não sou nenhum radical das classificações etárias. Não acho que se deva proibir em absoluto o acesso de crianças a jogos ou filmes classificados um pouco acima da sua idade. Mas é algo que tem de ser analisado caso a caso, com consciência, pelos pais. Não é algo que se deve promover ativamente, sem nexo, a propósito do Dia da Criança. O mais importante é o acompanhamento dos pais e o diálogo com os filhos.

 

Mas esta promoção parece sobretudo fruto de um desconhecimento total do que são os videojogos.

 

Não consigo imaginar alguém lembrar-se de fazer uma promoção de filmes relativa ao Dia da Criança onde inclua filmes selecionados aleatoriamente, colocando nos lugares de topo filmes de terror ou de temáticas adultas. Idem para os livros. Há filmes e livros sobre todo o tipo de temáticas e para todo o tipo de públicos. Porque carga de água é que nos dias de hoje ainda há quem ache que no caso dos videojogos isso não se aplica também?

 

E no limite, à falta de conhecimento sobre o tema, bastava olhar para os selos das capas dos jogos a dizer que são para maiores de 18.

publicado às 12:04

Castlevania: Dos videojogos para o Netflix

As adaptações de videojogos ao cinema têm uma longa história de desilusões. Talvez a solução esteja nas séries de televisão.

 

Castlevania - imagem promocional da série Netflix

 

A Netflix vai adaptar a icónica saga Castlevania a uma série de televisão. Uma saga que envolve vampiros e um herói que empunha um chicote e que marcou de forma indelével a história dos videojogos. Mas esse é um conto para outra altura...

 

A série de TV Castlevania não vai ser em imagem real mas sim em formato animação, o que talvez seja o melhor.

 

 

As expetativas são elevadas, já que a série é produzida por Adi Shankar - que já nos trouxe o excelente Dredd - e o próprio Adi diz que o seu objetivo é estabelecer um novo padrão de qualidade no que toca a adaptações de videojogos.

 

A julgar pelo primeiro teaser acabado de publicar pela Netflix, estamos no bom caminho.

publicado às 11:04

A melhor sequela de Alien não foi um filme

Chega hoje aos cinemas Alien: Covenant. A mais recente das muitas sequelas do genial filme de Ridley Scott, com o icónico monstro criado por H. R. Giger.

 

A qualidade das sequelas de Alien sempre foi alvo de debate, mas existe uma que é um verdadeiro hino à obra original. Chama-se Alien: Isolation e não é um filme.

 

Imagem de Alien: Isolation

 

Lançado pela Sega em 2014, Alien: Isolation é um jogo para PC e consolas que destila a essência do Alien original e a eleva a um novo nível. Daquela forma que só é possível nos videojogos.

 

Alien: Isolation coloca-nos na pele de Amanda Ripley, filha da protagonista dos primeiros filmes e que, já adulta, ainda procura respostas sobre o desaparecimento da sua mãe. Essa procura acaba por levá-la até uma estação espacial mergulhada no caos. O motivo, claro: há um alien à solta!

 

 

O jogador controla Amanda na perspectiva da primeira pessoa. Estamos totalmente mergulhados no ambiente do jogo e o ambiente do jogo recria na perfeição aquele aspeto de tecnologia "lo-fi" do primeiro filme, com luzes intermitentes e ecrãs de raios catódicos monocromáticos com interferências várias.

 

Mas não é só a experiência de "estar" nos cenários do filme. O que eleva este jogo à posição de derradeira experiência Alien é a sensação de terror paralisante que nos incute.

 

 

A minha chegada à estação de Sevastopol, quando joguei pela primeira vez Alien: Isolation, ficou-me marcada na memória. Não há ninguém à vista, as luzes estão quase todas apagadas, está escuro e há barulhos suspeitos à nossa volta. É suposto começar a explorar a estação, mas o meu cérebro não quer fazê-lo. Estou literalmente paralisado com o medo.

 

Num filme a ação avança sempre, independentemente do estado de espírito do espetador. Mas num jogo... é mesmo preciso combater o nosso medo para conseguir avançar. É algo que só mesmo um videojogo pode fazer, apesar de poucos o conseguirem realmente.

 

Alien: Isolation não só consegue esse feito como o mantém durante toda a sua duração. No jogo não combatemos o alien, apenas fugimos ou nos escondemos dele.

 

É a derradeira experiência para qualquer fã de Alien.

publicado às 15:05

O meu novo jogo favorito é português

Há pequenos jogos que são autênticas pérolas. Alguns deles são portugueses. E a lista está a crescer!

 

Sunset Shockwave.png

 

Quase escondido num canto da 4Gamers - o evento que decorreu em conjunto com o Iberanime, este fim de semana no MEO Arena - estava o despretensioso mas excelente Sunset Shockwave. É colorido, é divertido, é simples, é viciante... e é grátis!

 

E caso ainda não estejam impressionados, fiquem com mais esta: Sunset Shockwave foi desenvolvido por 3 jovens em apenas 2 dias!

 

Foi um projeto criado para a Global Game Jam 2017, uma espécie de concurso informal de desenvolvimento rápido de videojogos. O evento decorre em simultâneo em vários pontos do globo, onde programadores e outras pessoas ligadas ao desenvolvimento de videojogos se juntam para "inventar" novos jogos em passo rápido. Todos os projetos têm de ser apresentados ao fim de 48 horas. Jorge Miguel Carvalho, José Castanheira e Pedro Costa participaram e criaram Sunset Shockwave.

 

Depois da Global Game Jam o Sunset Shockwave teve direito a mais uns retoques e melhoramentos e está agora publicado na plataforma online Itch.io, onde pode ser jogado gratuitamente.

 

E do que se trata?

 

O jogo é muito simples: Voleibol de praia, com um jogador de cada lado do campo. A novidade é que este Voleibol não se joga com as mãos mas sim com poderes telecinéticos.

 

Em Sunset Shockwave os atletas têm um capacete que lhes permite parar a bola no ar e de seguida dispará-la de volta para o outro lado do campo. O jogador tem que estar a um mínimo de distância da bola para a conseguir parar, bastando para isso carregar num botão. Mas a bola só fica parada sob o controlo do jogador durante poucos segundos. É preciso decidir rapidamente a direção para onde queremos enviá-la ou ela cai e perdemos o ponto.

 

Sunset Shockwave - ecra 1.png

 

E é só isso. Mas esta mecânica simples exige um bom posicionamento no campo e permite até algumas técnicas como o bloquear junto à rede.

 

O jogo está feito para ser jogado por duas pessoas na mesma máquina, pelo que o aspeto social e competitivo de estar a jogar com o amigo ao lado traz a sua magia especial e completa a fórmula de sucesso.

 

Sunset Shockwave está disponível para jogar no browser ou para descarregar em versões Windows, Mac e Linux. Pode ser jogado com rato ou teclado, mas é altamente recomendado ter dois gamepads.

 

Tal como já disse, Sunset Shockwave é grátis. Por isso não têm desculpas para não o experimentarem!

publicado às 10:13

Pág. 1/2

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.