Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vida Extra

Aventuras e desventuras no universo dos videojogos.

Vida Extra

Aventuras e desventuras no universo dos videojogos.

Uma história de violência: 25 anos de Mortal Kombat

É por isto que os jogos têm um selo com a idade recomendada...

 

Logotipo de Mortal Kombat

 

Há um motivo para os videojogos terem na caixa um autocolante ou selo com a idade recomendada. E esse motivo fez este mês 25 anos.

 

Mortal Kombat era um jogo tão violento que fez nascer a classificação etária de jogos. Não foi a única causa, naturalmente, mas o jogo tinha um conjunto de características próprias que na altura o diferenciavam dos demais.

 

A violência de Mortal Kombat não se limitava aos combates corpo a corpo, que eram o cerne do jogo. Quando o combate terminava o vencedor podia desferir um golpe mortal no adversário. A voz do narrador incitava a isso com a célebre frase "Finish him!" (ou "Finish her!"), que significa "Acaba com ele/ela!".

 

Estes golpes eram chamados "Fatalities". Existiam em grande número e variedade mas todos eram de uma violência e sadismo requintados. E eram a imagem de marca do jogo. Vejam por exemplo o vídeo abaixo (obrigado Shiryu!) em que Sub-Zero arranca a cabeça de Sonya, com a coluna vertebral a vir atrás. Que por acaso até é uma cena do filme "Predador"...

 

 

Está tudo explicado, certo?

 

Calma... Há mais.

 

Outra característica particular de Mortal Kombat eram os seus gráficos. Em 1992 os videojogos eram na sua maioria imagens a duas dimensões, desenhadas quadradinho a quadradinho (os pixels) com um número limitado de cores. O hardware da altura não dava para muito mais.

 

Mas Mortal Kombat deu um passo em frente. Em vez de desenharem as suas personagens os criadores do jogo usaram imagens fotográficas digitalizadas. O aspeto era muito mais realista do que qualquer outro jogo da altura e isso despertou a preocupação que "agora que as imagens são mais realistas se calhar têm mais impacto".

 

Imagem de Mortal Kombat

 

Esse alarmismo com o realismo dos gráficos dos jogos tem sido, aliás, recorrente. A cada nova geração de consolas a pergunta volta a surgir da parte de jornalistas, políticos e outros. Recordo-me de ir à SIC Notícias por alturas do lançamento da primeira Xbox, em 2002, e dessa pergunta ter sido feita.

 

Mas entre 1992 e 1993 esse "realismo" visual tornava-se pela primeira vez uma preocupação real e ao mais alto nível. O tema foi discutido em audiências oficiais no Congresso dos Estados Unidos, tendo terminado com uma exigência à indústria americana de videojogos para criar um sistema que evitasse que este tipo de jogos fosse inadvertidamente jogado por crianças. Assim viria a ser criado o ESRB - Entertainment Software Ratings Board - que passou a aplicar um selo com a classificação etária a cada jogo vendido nos Estados Unidos.

 

Este sistema mantém-se em vigor até hoje e tem congéneres por todo o mundo. Em Portugal é o IGAC a entidade responsável pela classificação de videojogos, mas a entidade nacional limita-se a aplicar as classificações atribuídas pelo organismo europeu PEGI.

 

E quanto à história de Mortal Kombat?

 

O enredo do jogo quase não merece menção (pelo menos na minha antipática opinião), mas isso não o impediu de ser adaptado ao cinema por Paul W. S. Anderson. Mas sobretudo não o impediu de ser um sucesso de vendas: as inovações na jogabilidade e a qualidade do jogo foram a base sólida e a polémica contribuiu para o seu reconhecimento. E as sequelas foram muitas.

 

25 anos depois, continuam a sair novas versões de Mortal Kombat. E o sucesso e a polémica continuam presentes.

 

Se quiserem ver mais vídeos de Mortal Kombat e muitos outros jogos clássicos, não deixem de visitar o canal do Shiryu no Youtube.

publicado às 16:19

Melhores trailers de jogos de 2017: Setembro

Imagem de Red Dead Redemption II

 

Um trailer pode ser uma pequena obra de arte. E é por isso que, ao longo do ano, vou colecionar alguns dos melhores trailers que vão sendo lançados todos os meses pelas editoras de videojogos e partilhá-los convosco. Eis os meus preferidos de setembro.

 

Este mês decorreu o Tokyo Game Show, uma feira de videojogos japonesa, e por isso há alguns trailers em japonês na lista. Mas também há uma nova "coboiada" dos criadores de GTA. Ora vejam:

 

 

10- Fugl

 

Um jogo independente, singelo mas apelativo. E um dos membros da equipa de desenvolvimento é português, o que é sempre digno de nota.

 

 

 

9- Left Alive - teaser de apresentação

 

Foi uma das grandes novidades da feira de videojogos japonesa. Ainda não se sabe muito sobre este Left Alive, mas faz lembrar em muito a saga Metal Gear e isso é bom.

 

 

 

8- Sky - trailer de apresentação

 

O novo jogo dos criadores de Journey. E isso é tudo o que é preciso saber para um fã de videojogos ficar atento a este Sky.

 

 

 

7- Dragon Ball FighterZ - trailer da história

 

A fidelidade da animação e do desenho das personagens deste FighterZ em relação à série de TV original continua a fascinar com este novo trailer.

 

 

 

6- Shadow of the Colossus - trailer do TGS 2017

 

O magistral Shadow of the Colossus ganha novo fulgor com um remake para a PlayStation 4.

 

 

 

5- Assassin's Creed: Origins - trailer "Order of the Ancients"

 

A saga Assassin's Creed tem sido um pouco repetitiva na sua fórmula, mas este novo Origins parece realmente promissor. E os trailers reforçam essa ideia.

 

 

 

4- Call of Duty WWII - trailer da história

 

Promete ser o regresso à boa forma de Call of Duty. E este trailer dedicado ao modo história é notável.

 

 

 

3- Ruiner - trailer de lançamento

 

Uma pérola ciberpunk é  a melhor descrição para este jogo. E o trailer é um  mimo.

 

 

 

2- Red Dead Redemption 2 - o segundo trailer

 

Se o primeiro Red Dead Redemption tem uma legião de fãs, esta sequela tem os fãs a salivar. Os videojogos passados no Oeste selvagem são raros e a Rockstar promete elevar a fasquia.

 

 

 

1- Destiny 2 - trailer japonês

 

Não há palavras para a genialidade "non-sense" deste anúncio japonês à sequela de Destiny. Apreciem...

 

 

 

E vocês? Houve algum trailer em setembro de que tenham gostado e que não esteja na lista? Partilhem nos comentários.

 

Também podem rever a lista de melhores trailers de agosto.

publicado às 09:49

O que há de errado com o novo Tomb Raider

Imagem promocional de Tomb Raider

 

Apesar de ser uma das personagens de videojogos mais (re)conhecidas em todo o mundo, a verdade é que as aventuras de Lara Croft nos videojogos não foram um mar de rosas.

 

O estrondoso sucesso do jogo Tomb Raider original, de 1996, e a sua qualidade e inovação não se repetiram nas muitas sequelas lançadas ao longo dos anos posteriores. Não é que tenham sido um fracasso, seja em vendas ou na opinião dos críticos, mas foram claramente decrescendo até ao nível da banalidade.

 

Tudo isso mudou em 2013 com o reboot da saga: um novo Tomb Raider, com o mesmo título que o original, mas que nos levava até à adolescência de Lara Croft e ao momento em que o destino a transformou na aventureira que conhecemos.

 

O novo Tomb Raider era uma obra prima!

 

E é nesse novo Tomb Raider que se baseia o filme com Alicia Vikander, do qual vimos esta semana o primeiro trailer:

 

 

As semelhanças já eram conhecidas. As primeiras fotos promocionais da atriz no papel de Lara Croft pareciam uma fotocópia da nova Lara Croft dos novos videojogos.

 

E isso era um bom augúrio!

 

Só que, do que conseguimos ver no trailer, o novo filme afinal parece diferir bastante em alguns pontos-chave, apesar de várias das cenas serem claramente "decalcadas" do jogo.

 

E isso já é um mau augúrio!

 

É que a essência do genial novo Tomb Raider (o jogo) é a forma como acompanha a transição de uma jovem insegura, para um misto de aventureira e guerreira. Às vezes em coisas simples como ter de matar um animal para não morrer de fome. E eventualmente até ter de matar outras pessoas para que não a matem a ela.

 

No novo Tomb Raider (o filme) Lara já é uma jovem adulta e parece cheia de uma atitude desafiadora e combativa muito antes de embarcar - literalmente - na aventura.

 

E nesse caso o que sobrará para explorar em termos da evolução da personagem? Ficaremos apenas com uma longa sequência de acrobacias, entrecortadas por longos monólogos de exposição da história? A que se juntam provavelmente uma série de cenas recriadas a partir do jogo, mas agora desprovidas do seu contexto emocional e simbolismo?

 

Isso é a receita para um mau filme.

 

É cedo para criticar, pois primeiro é preciso que o filme seja lançado para o apreciarmos na totalidade, mas fiquei com um mau pressentimento. Talvez porque ainda recentemente senti o mesmo com o novo filme de Ghost In The Shell. Já para não falar de uma autêntica vaga atual de maus filmes de ação.

 

Parece haver algo de errado com o novo filme Tomb Raider. Só espero que errado esteja eu. É que bons filmes baseados em videojogos é algo que eu gostaria de ver mais!

publicado às 12:04

As mini Nintendo são como o Ferrero Rocher

Ferrero Rocher é um bombom de chocolate que estará eternamente ligado à frase "Ambrósio, apetecia-me algo" na mente coletiva do povo Lusitano. Mas também tinha (tem) outra particularidade: Só se vende nos meses de Outono/Inverno.

 

A marca já fez vários anúncios a comunicar que "vem aí o calor e por isso o Ferrero Rocher vai deixar de estar à venda" ou que, inversamente, "o calor já passou e o Ferrero Rocher está novamente à venda nas lojas". E onde eu quero chegar com isto é que o Ferrero Rocher não é um produto que o consumidor possa comprar sempre que quer. A Ferrero só o põe à venda em certas alturas.

 

E o mesmo se passa com as mini Nintendo.

 

Imagem da Nintendo Classic Mini NES

 

Inicialmente ia escrever um post sobre teorias da conspiração. Em particular sobre a teoria que diz que a Nintendo está a limitar propositadamente o stock da sua nova consola - a Switch - para manter elevado o interesse dos consumidores.

 

É verdade que a Nintendo Switch tem sido muito difícil de encontrar nas lojas, que recebem poucas unidades de cada vez e as esgotam quase de imediato. Mas a Nintendo explica que isso se deve apenas à grande procura por parte dos consumidores e à dificuldade em produzir mais consolas em número e ritmo suficientes. Realmente, é estúpido pensar que a Nintendo estaria a "deitar dinheiro fora", recusando-se a vender consolas e enfurecendo os potenciais compradores.

 

Só para ser claro: eu acredito que não há conspiração nenhuma.

 

Mas...

 

No ano passado a Nintendo colocou à venda uma versão miniaturizada de uma das suas primeiras consolas: a NES. Foi um sucesso tremendo.

 

A mini-consola continuou a vender em grande volume e a esgotar constantemente. Até que em abril deste ano a Nintendo disse que não ia produzir mais consolas NES Classic Mini. Até hoje ninguém percebeu porquê.

 

A única explicação da Nintendo foi que a sua ideia sempre tinha sido produzir a mini consola apenas por um período limitado, mas na prática o que a Nintendo fez foi «"deitar dinheiro fora", recusando-se a vender consolas e enfurecendo os potenciais compradores». Exatamente aquilo escrevi acima sobre a Switch e que seria estúpido pensar que a Nintendo teria interesse em fazer.

 

É no mínimo estranho.

 

Mas eis que a Nintendo anunciou hoje que vai voltar a vender a NES Classic Mini a partir do próximo Verão. E também garantiu que a nova SNES Classic Mini (uma nova mini-consola que a Nintendo lançará este mês) vai continuar a ser vendida durante 2018.

 

São boas notícias! E são também uma indicação que de facto a Nintendo sabe que tem um produto muito apetecível em mãos com estas consolas miniatura. Teremos estas apetecíveis consolas à venda, senão sempre, pelo em certas alturas. Como o Ferrero Rocher.

 

Porque é que há estes interregnos nas vendas é que não se chega a perceber. Haverá certamente uma explicação razoável, mas qual é não sei dizer.

 

Tal como nunca percebi porque é que não se vende Ferrero Rocher no Verão. Há frigoríficos. Há gelados todo o ano. Isto deve ser uma conspiração da Ferrero...

publicado às 12:14

Melhores trailers de jogos de 2017: Agosto

Imagem de Hearthstone

 

Um trailer pode ser uma pequena obra de arte. E é por isso que, ao longo do ano, vou colecionar alguns dos melhores trailers que vão sendo lançados todos os meses pelas editoras de videojogos e partilhá-los convosco. Eis os meus preferidos de agosto.

 

Agosto é um mês cheio de novidades graças à Gamescom, uma feira de videojogos realizada na Alemanha e que é já um dos mais importantes eventos desta indústria. Ora vejam:

 

10- Super Beat Sports - trailer de apresentação

 

Um trailer deliciosamente animado para um jogo que mistura desporto e ritmo musical.

 

 

 

9- Destiny 2 - trailer de lançamento

 

Mais um excelente trailer da sequela de Destiny, desta vez a anunciar o lançamento do jogo.

 

 

 

8- Need For Speed Payback - trailer da Gamescom 2017

 

O novo Need For Seed parece estar carregado de ação explosiva, tal como este novo trailer mostra.

 

 

 

7- Ace Combat 7 - trailer "Erusea Strikes Back"

 

O mundo de fantasia e combates aéreos de Ace Combat volta a deliciar todos os fãs de aviação.

 

 

 

6- Star Wars Battlefront 2 - trailer do modo Starfighter Assault

 

Um olhar mais detahado sobre os combates espaciais na sequela de Star Wars Battlefront. Tudo o que um fã de Star Wars pode desejar...

 

 

 

5- No More Heroes - trailer "Travis Strikes Again"

 

A sequela de No More Heroes foi uma das surpresas da Gamescom deste ano. Não percam o trailer da nova obra do genial Suda51.

 

 

 

4- Overwatch - curta "Rise and Shine"

 

As curtas de Overwatch são conhecidas pela sua excelência e esta nova obra não é exceção.

 

 

 

3- Biomutant - trailer cinemático

 

Uma das mais agradáveis suspresas a sair da Gamescom deste ano foi este Biomutant. Assistam ao trailer e descubram porquê.

 

 

 

2- Assassin's Creed Origins - trailer da Gamescom 2017

 

Um dos melhores trailers que foram apresentados na feira de videojogos alemã. A não perder!

 

 

 

1- Hearthstone - curta "Hearth and Home"

 

Absolutamente imperdível este fabuloso trailer musical de Hearthstone, a provar mais uma vez que a Blizzard, além de fazer jogos excelentes, é uma das melhores criadores de animação 3D.

 

 

 

E vocês? Houve algum trailer em agosto de que tenham gostado e que não esteja na lista? Partilhem nos comentários.

 

Também podem rever a lista de melhores trailers de julho.

publicado às 17:05

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.