Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vida Extra

Aventuras e desventuras no universo dos videojogos.

Vida Extra

Aventuras e desventuras no universo dos videojogos.

O que há de errado com o novo Tomb Raider

Imagem promocional de Tomb Raider

 

Apesar de ser uma das personagens de videojogos mais (re)conhecidas em todo o mundo, a verdade é que as aventuras de Lara Croft nos videojogos não foram um mar de rosas.

 

O estrondoso sucesso do jogo Tomb Raider original, de 1996, e a sua qualidade e inovação não se repetiram nas muitas sequelas lançadas ao longo dos anos posteriores. Não é que tenham sido um fracasso, seja em vendas ou na opinião dos críticos, mas foram claramente decrescendo até ao nível da banalidade.

 

Tudo isso mudou em 2013 com o reboot da saga: um novo Tomb Raider, com o mesmo título que o original, mas que nos levava até à adolescência de Lara Croft e ao momento em que o destino a transformou na aventureira que conhecemos.

 

O novo Tomb Raider era uma obra prima!

 

E é nesse novo Tomb Raider que se baseia o filme com Alicia Vikander, do qual vimos esta semana o primeiro trailer:

 

 

As semelhanças já eram conhecidas. As primeiras fotos promocionais da atriz no papel de Lara Croft pareciam uma fotocópia da nova Lara Croft dos novos videojogos.

 

E isso era um bom augúrio!

 

Só que, do que conseguimos ver no trailer, o novo filme afinal parece diferir bastante em alguns pontos-chave, apesar de várias das cenas serem claramente "decalcadas" do jogo.

 

E isso já é um mau augúrio!

 

É que a essência do genial novo Tomb Raider (o jogo) é a forma como acompanha a transição de uma jovem insegura, para um misto de aventureira e guerreira. Às vezes em coisas simples como ter de matar um animal para não morrer de fome. E eventualmente até ter de matar outras pessoas para que não a matem a ela.

 

No novo Tomb Raider (o filme) Lara já é uma jovem adulta e parece cheia de uma atitude desafiadora e combativa muito antes de embarcar - literalmente - na aventura.

 

E nesse caso o que sobrará para explorar em termos da evolução da personagem? Ficaremos apenas com uma longa sequência de acrobacias, entrecortadas por longos monólogos de exposição da história? A que se juntam provavelmente uma série de cenas recriadas a partir do jogo, mas agora desprovidas do seu contexto emocional e simbolismo?

 

Isso é a receita para um mau filme.

 

É cedo para criticar, pois primeiro é preciso que o filme seja lançado para o apreciarmos na totalidade, mas fiquei com um mau pressentimento. Talvez porque ainda recentemente senti o mesmo com o novo filme de Ghost In The Shell. Já para não falar de uma autêntica vaga atual de maus filmes de ação.

 

Parece haver algo de errado com o novo filme Tomb Raider. Só espero que errado esteja eu. É que bons filmes baseados em videojogos é algo que eu gostaria de ver mais!

publicado às 12:04

As mini Nintendo são como o Ferrero Rocher

Ferrero Rocher é um bombom de chocolate que estará eternamente ligado à frase "Ambrósio, apetecia-me algo" na mente coletiva do povo Lusitano. Mas também tinha (tem) outra particularidade: Só se vende nos meses de Outono/Inverno.

 

A marca já fez vários anúncios a comunicar que "vem aí o calor e por isso o Ferrero Rocher vai deixar de estar à venda" ou que, inversamente, "o calor já passou e o Ferrero Rocher está novamente à venda nas lojas". E onde eu quero chegar com isto é que o Ferrero Rocher não é um produto que o consumidor possa comprar sempre que quer. A Ferrero só o põe à venda em certas alturas.

 

E o mesmo se passa com as mini Nintendo.

 

Imagem da Nintendo Classic Mini NES

 

Inicialmente ia escrever um post sobre teorias da conspiração. Em particular sobre a teoria que diz que a Nintendo está a limitar propositadamente o stock da sua nova consola - a Switch - para manter elevado o interesse dos consumidores.

 

É verdade que a Nintendo Switch tem sido muito difícil de encontrar nas lojas, que recebem poucas unidades de cada vez e as esgotam quase de imediato. Mas a Nintendo explica que isso se deve apenas à grande procura por parte dos consumidores e à dificuldade em produzir mais consolas em número e ritmo suficientes. Realmente, é estúpido pensar que a Nintendo estaria a "deitar dinheiro fora", recusando-se a vender consolas e enfurecendo os potenciais compradores.

 

Só para ser claro: eu acredito que não há conspiração nenhuma.

 

Mas...

 

No ano passado a Nintendo colocou à venda uma versão miniaturizada de uma das suas primeiras consolas: a NES. Foi um sucesso tremendo.

 

A mini-consola continuou a vender em grande volume e a esgotar constantemente. Até que em abril deste ano a Nintendo disse que não ia produzir mais consolas NES Classic Mini. Até hoje ninguém percebeu porquê.

 

A única explicação da Nintendo foi que a sua ideia sempre tinha sido produzir a mini consola apenas por um período limitado, mas na prática o que a Nintendo fez foi «"deitar dinheiro fora", recusando-se a vender consolas e enfurecendo os potenciais compradores». Exatamente aquilo escrevi acima sobre a Switch e que seria estúpido pensar que a Nintendo teria interesse em fazer.

 

É no mínimo estranho.

 

Mas eis que a Nintendo anunciou hoje que vai voltar a vender a NES Classic Mini a partir do próximo Verão. E também garantiu que a nova SNES Classic Mini (uma nova mini-consola que a Nintendo lançará este mês) vai continuar a ser vendida durante 2018.

 

São boas notícias! E são também uma indicação que de facto a Nintendo sabe que tem um produto muito apetecível em mãos com estas consolas miniatura. Teremos estas apetecíveis consolas à venda, senão sempre, pelo em certas alturas. Como o Ferrero Rocher.

 

Porque é que há estes interregnos nas vendas é que não se chega a perceber. Haverá certamente uma explicação razoável, mas qual é não sei dizer.

 

Tal como nunca percebi porque é que não se vende Ferrero Rocher no Verão. Há frigoríficos. Há gelados todo o ano. Isto deve ser uma conspiração da Ferrero...

publicado às 12:14

Melhores trailers de jogos de 2017: Agosto

Imagem de Hearthstone

 

Um trailer pode ser uma pequena obra de arte. E é por isso que, ao longo do ano, vou colecionar alguns dos melhores trailers que vão sendo lançados todos os meses pelas editoras de videojogos e partilhá-los convosco. Eis os meus preferidos de agosto.

 

Agosto é um mês cheio de novidades graças à Gamescom, uma feira de videojogos realizada na Alemanha e que é já um dos mais importantes eventos desta indústria. Ora vejam:

 

10- Super Beat Sports - trailer de apresentação

 

Um trailer deliciosamente animado para um jogo que mistura desporto e ritmo musical.

 

 

 

9- Destiny 2 - trailer de lançamento

 

Mais um excelente trailer da sequela de Destiny, desta vez a anunciar o lançamento do jogo.

 

 

 

8- Need For Speed Payback - trailer da Gamescom 2017

 

O novo Need For Seed parece estar carregado de ação explosiva, tal como este novo trailer mostra.

 

 

 

7- Ace Combat 7 - trailer "Erusea Strikes Back"

 

O mundo de fantasia e combates aéreos de Ace Combat volta a deliciar todos os fãs de aviação.

 

 

 

6- Star Wars Battlefront 2 - trailer do modo Starfighter Assault

 

Um olhar mais detahado sobre os combates espaciais na sequela de Star Wars Battlefront. Tudo o que um fã de Star Wars pode desejar...

 

 

 

5- No More Heroes - trailer "Travis Strikes Again"

 

A sequela de No More Heroes foi uma das surpresas da Gamescom deste ano. Não percam o trailer da nova obra do genial Suda51.

 

 

 

4- Overwatch - curta "Rise and Shine"

 

As curtas de Overwatch são conhecidas pela sua excelência e esta nova obra não é exceção.

 

 

 

3- Biomutant - trailer cinemático

 

Uma das mais agradáveis suspresas a sair da Gamescom deste ano foi este Biomutant. Assistam ao trailer e descubram porquê.

 

 

 

2- Assassin's Creed Origins - trailer da Gamescom 2017

 

Um dos melhores trailers que foram apresentados na feira de videojogos alemã. A não perder!

 

 

 

1- Hearthstone - curta "Hearth and Home"

 

Absolutamente imperdível este fabuloso trailer musical de Hearthstone, a provar mais uma vez que a Blizzard, além de fazer jogos excelentes, é uma das melhores criadores de animação 3D.

 

 

 

E vocês? Houve algum trailer em agosto de que tenham gostado e que não esteja na lista? Partilhem nos comentários.

 

Também podem rever a lista de melhores trailers de julho.

publicado às 17:05

O apocalipse emocional

As discussões sobre adaptações de videojogos ao cinema e vice-versa costumam resumir-se à (geralmente fraca) qualidade das mesmas. O problema, se calhar, está na abordagem: "adaptar" é redutor para ambos os meios. Sobretudo porque são meios com características únicas.

 

Mas essa abordagem parece estar a mudar. Aos poucos surgem produtoras conscientes das diferenças fundamentais na narrativa e envolvência possíveis em cada meio.

 

Um exemplo será a Annapurna Pictures, que em dezembro passado anunciou que iria passar a publicar também videojogos. Não videojogos baseados nos seus filmes, mas videojogos com a sua identidade própria.

 

Um novo exemplo surgiu esta semana, de um estúdio relativamente desconhecido mas fundado por grandes veteranos da indústria dos videojogos.

 

Imagem da curta-metragem "Elegy"

 

Hinterland Studio tem estado a trabalhar no jogo The Long Dark. Este primeiro título da empresa coloca o jogador numa luta pela sobrevivência num cenário pós-apocalíptico. Até aqui parece do mais cliché possível num videojogo. Só faltam os zombies e os tiros. Mas não.

 

Em The Long Dark é preciso sobreviver à força da Natureza. Ao frio, à fome, ao desespero. O jogo é implacável, pois começamos no meio do nada e não existem "poderes especiais". É possível morrer de frio passados poucos minutos de jogo. Enquanto videojogo, transmite na perfeição a fragilidade do ser humano fora dos confortos da civilização. E a componente narrativa também parece estar bem encaminhada. Vejam este fantástico trailer de lançamento:

 

 

O jogo captou a atenção de Jeremy Bolt, produtor dos filmes baseados em Resident Evil. E esqueçam por momentos as opiniões que possam ter sobre estes filmes protagonizados por Milla Jovovich: a verdade é que é uma das mais duradouras e rentáveis séries de filmes baseados em videojogos.

 

Bolt adquiriu os direitos para uma adaptação ao cinema de The Long Dark. O anúncio foi feito na passada segunda-feira e, para quem tivesse dúvidas da qualidade expectável para o filme, foi lançado um trailer. Um trailer que não é bem um trailer. É uma curta-metragem. Ou, nas palavras de Bolt, um poema visual.

 

E é narrado por Christopher Plummer.

 

E é absolutamente extraordinário e imperdível.

 

 

Os videojogos também estão a evoluir na sua capacidade narrativa e exploração dos elementos emocionais e contemplativos, reforçando o impacto que têm no jogador, reforçando o seu próprio valor artístico. E creio que é isso que está a facilitar as adaptações dos jogos ao cinema e do cinema aos jogos.

 

Sugestão de leitura: A Rolling Stone tem um excelente artigo sobre o que é um videojogo. É escrito pela criadora de "Walden, A Game", um título que replica a obra "Walden" de Henry David Thoreau em formato de videojogo. É um ótimo texto sobre o potencial dos videojogos enquanto meio artístico.

publicado às 10:29

Melhores trailers de jogos de 2017: Julho

 

Imagem de Doomfist

 

 

Um trailer pode ser uma pequena obra de arte. E é por isso que, ao longo do ano, vou colecionar alguns dos melhores trailers que vão sendo lançados todos os meses pelas editoras de videojogos e partilhá-los convosco. Eis os meus preferidos de julho.

 

Entre a E3 do mês passado e a Gamescom em agosto, julho viu alguns trailers criados especialmente para a Comic-Con de San Diego... e mais alguns que não lhes ficam atrás. Ora vejam:

 

 

10- The Metronomicon: Slay The Dance Floor - trailer

 

Aumentem o volume e assistam a este trailer fora do comum. O jogo tem um aspeto surreal, a edição e efeitos visuais assentam que nem uma luva e a música torna-o simplesmente viciante.

 

 

 

9- Tooth and Tail - trailer cinematográfico

 

Um trailer fora do comum mas estranhamente apelativo para um jogo de estratégia com personagens que parecem saídas de um livro de histórias de encantar.

 

 

 

8- Star Citizen - trailer "Lost and Found"

 

O mais recente trailer de Star Citizen volta a contar com a música do português Pedro Camacho. O trailer puxa para o sentimental, mas isso só dá mais força à banda sonora.

 

 

 

7- Wolfenstein 2 The New Colossus - trailer "German or Else"

 

E se a Alemanha tivesse ganho a Segunda Guerra Mundial? Como seriam os concursos televisivos? Segundo o mais recente trailer de Wolfenstein 2 seriam assim.

 

 

 

6- Serial Cleaner - trailer de lançamento

 

Serial Cleaner é um jogo impregnado de estilo e o mais recente trailer volta a demonstrá-lo.

 

 

 

5- Shakedown Hawaii - trailer de revelação

 

Apesar do aspeto "retro" do jogo, este trailer tem um charme inegável. A não perder.

 

 

 

4- Middle-Earth: Shadow of War - trailer da Comic-Con

 

Conheçam Shelob no novo trailer da sequela de Shadow of Mordor, revelado na Comic-Con de San Diego.

 

 

 

3- Call of Duty WWII - trailer Nazi Zombies

 

O impressionante trailer do modo Zombies do novo Call of Duty foi finalmente revelado e não desapontou.

 

 

 

2- Fortnite - trailer de lançamento

 

O mais recente trailer do novo jogo da Blizzard é imperdível.

 

 

 

1- Overwatch - trailer da origem de Doomfist

 

As curtas-metragens de Overwatch são pequenas obras-primas. A mais recente foge completamente ao estilo habitual para adotar um visual anime, mas o resultado final não desaponta.

 

 

 

E vocês? Houve algum trailer em julho de que tenham gostado e que não esteja na lista? Partilhem nos comentários.

 

Também podem rever a lista de melhores trailers de junho.

publicado às 11:57

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.